among us

sexta-feira, 7 de março de 2014

A capa dos currículos (dicas de como conseguir emprego)

Hoje precisei de escolher uns quantos currículos, para chamar pessoas a uma entrevista de emprego. E posso tirar várias conclusões da análise à capa dos currículos:

- A capa (daquelas grossas) fica cheia em 2 meses. Portanto, é muitas vezes uma questão de sorte, a altura em que se entrega o currículo. Em 2 meses ainda pode andar atrás de emprego, mas o empregador só se vai dar ao trabalho de analisar uns quantos dos que estão por cima.

- Currículos sem foto: são logo postos de parte. Grande não, não! Não sei, honestamente, como há pessoas que ainda o fazem. E nem me interessa se são bonitos ou feios, mas de qualquer forma qualquer pessoa gosta de ver que aspecto tem o possível futuro colaborador.

- Fotos tipo "facebook": na brincadeira, a aparecer de lado, com olhar à matador... se mete uma foto dessas no currículo, o que dirá da responsabilidade em relação ao resto. Até pode não querer dizer nada, mas fica a ideia.

- Mails do género: iluvkizomba@sapo.pt (não sei se existe este mas vi um currículo com um parecido) e outras coisas assim. No comment.

- Currículos enormes. Esqueçam. Se tem 3 páginas, já ninguém olha para a última. Mesmo as primeiras é por alto, a ver habilitações, último emprego... e há ainda quem meta cartas de apresentação enormes! Ninguém lê! Não há tempo, nem paciência. Um parágrafo de apresentação é apreciado e suficiente.

- Pessoas com 10 empregos na lista. Ainda que os tenham tido, metam os 2 / 3 últimos. Porque se eu vir que andou a trocar de emprego de 6 em 6 meses e não pára em lado nenhum... chega a um ponto em que uma pessoa pensa que o defeito é seu.

- Noutro campo tem coisas que me arrepiam a alma ao olhar para a capa dos currículos: Pessoas com 30 anos, desempregadas há 3 anos... eu, que estou quase nessa idade, prefiro nem pensar nessa possibilidade, que desespero, por Deus.
Pessoas muito mais qualificadas, com cursos de Gestão, ex-gerentes de lojas até com uma equipa elevada, já com idade de ter filhos a entrar na adolescência, a candidatar-se a lugares de part-time, em qualquer área. Este país não está para ninguém.
Pessoas licenciadas (como eu) de todas as áreas: Informática, Gestão, Enfermagem, Farmacêutica... para empregos em que o 12º bastava. Quanto a vocês não sei, a mim deixa-me deprimida.

13 comentários:

Leonor disse...

Só vim hoje ao teu blog e encontro logo um post tão interessante.. Em relação a este tema. Qual achas que deve ser o formato do CV? Europass ou um mais original? Na minha opinião, depende das áreas..

Panda disse...

Olá Leonor,
dos que seleccionei para entrevista só um não tinha o formato europass e honestamente gostei mais do dele, do que dos outros. Muito clean, directo e atractivo. E lá está, destacou-se por ser diferente. Mas acho que é exactamente como dizes. Para trabalhar numa loja de atendimento ao público não necessita de ser um modelo Europass, se calhar para te candidatares a àreas mais "rigorosas" já convém ser o convencional. Mas simplifiquem-no ao máximo!

Leonor disse...

Eu sou da área da economia e até costumam referir, por vezes, para ser europass.

Beijinho

Pérola disse...

Parece-me que me podes ajudar.

Já procuro emprego há tempo demais e qualquer coisa já é desejável.

Por vezes até me envergonho das habilitações.

Beijos e obrigado.

S* disse...

Deve ser doloroso lidar com o desespero dos outros... porque, em alguns casos, é mesmo desespero.

Panda disse...

De onde és Pérola?

Ana Ricardo disse...

Aqui 41 desempregada há quase 2...já entrei na zona crítica da coisa certo? Depois onde eu podia 'ir' com o 12º e uns extras, hoje em dia pedem licenciados em gestão e contabilidade. Onde eu posso ir agora, também vai toda a massa de desempregados, incluindo licenciados. É uma guerra! E é frustrante...

Anna Marian disse...

Sinceramente Panda? Tenho de discordar pelo menos num aspecto. Para muita gente a fotografia nao passa de uma mera curiosidade e nem sempre e' sinonimo de emprego garantido. Desde que estou em Inglaterra a unica vez que deixei fotografia no meu curriculo foi para receber propostas absurdas. Ate' ao dia em que deixei de por fotografia... nem sempre consegui o que queria. Mas ao menos sei que consegui o trabalho que tenho pela minha "experiencia" que nao era muita e motivacao (ou por outra qualidade qualquer desconhecida, que nao a aparencia). Agora formato europass ca' em Inglaterra pelo menos e' pouco aceitavel. O que importa na maioria dos casos e' mesmo o conteudo, a apresentacao e' um acrescimo. Fora isto concordo :) menos e' mais.

Panda disse...

Lá está, depende das pessoas.
No meu caso, currículo sem foto são logo excluídos. Outras pessoas terão outros motivos.

Dreamer Girl disse...

Eu cá concordo contigo nisso que dizes da foto... Epá não interessa se é bonito ou feio, gordo ou magro... Mas a aparência de uma pessoa diz muito sobre ela e para alguns tipos de emprego penso que é muito útil.

Relativamente ao SIM OU NÃO ao Europass.. Eu tenho o Europass, mas já pensei em fazer outro... Há algum outro modelo por aí??

Beijinhooo

Catarina disse...

Panda, bem-vinda a Portugal, onde não existe emprego para todos e curso superior não é sinónimo de emprego garantido. Eu sou da área da Comunicação, estou desempregada há ano e meio. Na minha área só trabalhei à volta de 2 anos. Depois foi sempre no comércio que trabalhei, não por escolha do coração, mas por tive que ganhar a vida. Mas agora está mais complicado e continuo sempre a tentar, para várias áreas, mas nada! Deprimente é isto. Deprimente é não chamarem sequer para entrevista. Deprimente é só oferecerem estágios em troca de funções de responsabilidade. Deprimente é uma pessoa acima dos 35 anos se sentir posta de lado pelos recrutadores, quando ainda é nova e ainda tem tanto para dar. Deprimente é ler todos os dias anúncios de emprego e achar que está num mundo de lunáticos, que não sabem o que estão a pedir.
E agora? A culpa é de quem?
Bom fim de semana!

Panda disse...

Catarina,
aqui quem te escreve é uma homónima =) também licenciada em Comunicação. Trabalho em comércio desde os 14 anos de idade. Haja emprego. Seja em que área for.

Candybabe disse...

Infelizmente... Isto está de fugir...