among us

domingo, 30 de novembro de 2014

Coisas que eu faço ao Domingo

(e que são bem melhores do que se enfiarem numa loja ou shopping) #ficaadica


  • Almoço em família. Sempre.
  • Descobrir novos sítios na minha cidade. Ao ar livre.
  • Namorar. Muito.
  • Fazer panquecas. A receita fica para amanhã.
  • Dormir a sesta.
  • Descobrir novas músicas.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

A saga do cinema

Finalmente consegui ir ao cinema ver o Hunger Games - Mockingjay part 1.
Já fomos (eu e o Peixe) duas vezes ao cinema para ver o filme mas surgiram imprevistos (de uma vez esgotaram os bilhetes, da outra tive um acidente com a roupa e tivemos de voltar para casa). Ontem comprámos os bilhetes com antecedência e depois fomos às compras.
Às tantas estávamos a jantar no H3 e vem uma senhora ter connosco e diz: "Peço desculpa...mas não foram vocês que compraram bilhetes para ir ao cinema?", e eu: "sim...", e diz a senhora: "Bem me pareceu. Vocês perderam os bilhetes. Mas o senhor da bilheteira ficou com eles...".
Ora, eu nem tinha dado ainda pela falta deles, mas era verdade, sim senhora, e portanto a senhora já nos poupou um susto e uma trabalheira.
Íamos a caminho do cinema, não sei como, mas dei um jeito ao ombro. Fiquei paralisada. Só de respirar me doía. Emborquei um ben-u-ron, e passei o filme com lágrimas nos olhos com as dores.
Eu só vou ao cinema se arranjar lugar junto ao corredor (é o que a claustrofobia permite), sento-me toda torta porque o ombro não me deixava ter posição. Chega um casal e senta-se à nossa frente. O homem só tinha uns 2 metros de altura e tapava-me o ecrã até meio, pelo que troquei de lugar com o meu marido e já não fiquei junto ao corredor.
Senta-se um casal, com uns 18 anos ao meu lado. Sempre a falar, sempre... Detesto gente que fala no cinema. E claramente ele percebia a história e ela não tinha visto os filmes anteriores. Então foi o filme TODO:
- Quem é este?
- Porquê?
- E o que é que fizeram?
- E o que é aquilo?
Mas isso até entendo, melhor era quando ela descrevia TUDO o que estava a dar:
- Olha é um gato!
- Olha está a cantar!
- Olha está tão magrinho!
- Olha ela a pegar nos frasquinhos!
Nisto dá uma cena em que a actriz fica bastante tempo com a boca aberta. E diz a miúda:
- Fecha a boca!
Ao que eu respondo:
- Porque não fechas tu???
E nisto sou fulminada pelo olhar do meu marido. E perguntam vocês se foi isto o filme todo?
Não. Felizmente existiram momentos em que eles desataram a comer-se forte e feio, e ao menos assim ela calava-se. Houve até mãos nas mamas e tudo. E digo eu ao Peixe:
- É pá, não sei se hei-de olhar para o filme à frente ou para o pornográfico ao lado...
Ele volta a fulminar-me com o olhar e diz:
- Já tiveste a idade deles!
Só não me lembro de ser assim parva, mas pronto.
Continuando, isto foi ontem à noite e o meu ombro continua empenado. Devia ir ao hospital, mas já sei que me mandam tomar uns comprimidos e pôr uma pomada, e disso já tenho em casa. Cheguei aos 30 anos e fiquei velha, é o que vos digo.

E o filme?
Méééé. Não é mau. Mas também não achei nada de especial. O bom de fazerem dois filmes a partir de um livro pequeno (li-o num dia, quando estava internada no hospital) é que mostram os pormenores todinhos. Está muito fiel ao livro, mas como a última parte é a mais animada, suponho que a parte 2 venha a ser melhor. Mais alguém que seja fã, acha como eu, que nunca houve faísca entre a Katniss e o Gale? No Twilight percebia-se a dúvida entre Team Jacob e Team Edward. Estes dois nunca me convenceram...

terça-feira, 25 de novembro de 2014

A noite de aniversário no instagram


Jantar de aniversário num restaurante em Esposende. Amo marisco. Banda sonora :canções de Natal. Estamos a um mês. Sou católica e às vezes penso se Jesus seria cigano, as festas dele duram e duram e duram...

 Jantar
 agora a sério

O restaurante apagou as luzes e cantaram os parabéns. Vergonhaaaa,mas adorei a noite com o maridao.



É hoje é são trinta

Trabalhei até agora. E ainda não sei o que vou fazer para festejar.Obrigada a todas que já me desejaram parabéns (Lúcia Fonseca desculpa apaguei o teu comentário sem querer, estúpido telemóvel com ecrã todo partido).


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Último dia nos vinte

Hoje é o meu último dia na casa dos 20. Amanhã faço 30. Trintona.
Parece-me um número imenso para a minha mentalidade de menina.

Na minha década dos vinte:

  • Acabei a licenciatura
  • Fui viver com o namorado (20 anos)
  • Por acaso faz hoje 10 anos que tirei a carta de condução (um dia antes dos 20)
  • Estagiei na RTP
  • Adoptei a Mia
  • Trabalhei (e fui explorada) como jornalista
  • Comecei a trabalhar na empresa onde trabalho hoje
  • Desisti de ser jornalista
  • Fui a Londres
  • Comprei casa com o namorado
  • Perdi 20kg em 3 meses
  • Fui promovida 3x
  • Casei
  • Fui a New York
  • Fui tia 4x
  • Tive um acidente de automóvel em que o carro foi para a sucata
  • Fui ao Algarve (primeira e única vez...infelizmente)
  • Iniciei este blog
  • Fiz dois testes de gravidez
  • Fiz uma septoplastia
  • Fui a Paris
  • Fui muito feliz na Disneyland
  • Vi o Justin Timberlake ao vivo
A ver o que os 30 me trazem.

sábado, 22 de novembro de 2014

Sócrates, a Política e a Justiça

Mesmo antes de me deitar vejo a notícia na TV.
E deixou-me a pensar, reconheço que até sonhei com isso, naquilo que eu acho que é o grande problema deste país: a Justiça, ou a falta dela. Este ano tem sido cheio de fogo de vista para os lados da Justiça: políticos presos, banqueiros, chefes da polícia. E depois? Depois como é gente que roubou o povo não lhes falta dinheiro (mas não em nome deles, claro), e contratam advogados que são ainda mais mafiosos que eles, que encontram brechas nas formulações das leis. que subornam juízes, e depois não dá em nada. E enquanto não der em nada vão existir polícias, políticos, banqueiros, juízes corruptos e este país há-de estar sempre na merda.
Alguém me diga como é que José Sócrates que não tem nadinha em nome dele, nem a mãe, nem a família mais chegada, consegue pagar uma casa em Paris de 3 milhões e um bom advogado?
Não tem bens, é atribuir-lhe um da Segurança Social, coitado.
Oxalá esta detenção fosse sinal de mudança dos tempos, mas temo que ainda não é desta.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Shit happens

                                 

E isto aconteceu hoje ao meu telemóvel de 3 meses. Pediram me 100€pelo arranjo. Estou hesitante entre andar assim com ele mais um ano e sete meses, mas diga se que enerva bastante a teia de riscos, ou comprar mesmo um novo... Que dor na carteira.Para me distrair tentei ir ao cinema ver o novo Hunger Games, mas já estava esgotado. Shit happens.

Eu confio em mim própria

Também vos está sempre a acontecer ter de escolher entre duas coisas, e o primeiro pensamento vai para uma, mas pensam melhor e escolhem a outra... que é a errada. E depois pensam: "Devia ter seguido o meu primeiro instinto!"
Não é fácil seguirmos o nosso instinto. Nem sequer é fácil apercebermo-nos de qual é. Eu por exemplo, tenho o péssimo hábito de me considerar muito azarada e então tendo a pensar e repensar as coisas, o que só piora.
A grande maioria das vezes o nosso instinto está mesmo correcto! Porque a nossa reacção inconsciente é a que traduz o que nos vai no coração.
Temos é de aprender a confiar em nós próprios. E repetir isso, as vezes necessárias, até que não restem dúvidas: "Eu confio em mim própria".
O teu coração sabe coisas que a tua mente não consegue explicar.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

#100happydays Days 51 a 55

16/07/2014
My dad working on a new invention. #100happydays #day51 #dad #inventor

17/07/2014
Trying to eat new and healthy things, like #avocado (abacate). I didn't like it!!! Lol #100happydays #day52
18/07/2014
Finalmente os meus crepes saíram perfeitos :) #100happydays #day53 #delicious

19/07/2014
Keep your head up, keep your heart strong. #100happydays #day54

20/07/2014
De #ferias!!!! Não são aqui, mas são bem-vindas na mesma. #100happydays #day55

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

As mil e uma maneiras de falar

Uma conhecida parábola árabe conta que um sultão sonhou que havia perdido todos os dentes. Logo que despertou de seu desconfortável sono, mandou chamar um adivinho para que interpretasse o que havia sonhado.
– Que desgraça, senhor! – Exclamou o adivinho. – Cada dente caído representa a perda de um parente de vossa majestade.
– Mas que insolente – gritou o sultão, enfurecido. – Como te atreves a dizer-me semelhante coisa? Fora daqui! – e então chamou os guardas e ordenou que lhe dessem cem açoites. Mandou que trouxessem outro adivinho e lhe contou sobre o sonho. Este, após ouvir o sultão com atenção, disse-lhe:
– Excelso senhor! Grande felicidade vos está reservada. O sonho significa que haveis de sobreviver a todos os vossos parentes!
A fisionomia do sultão iluminou-se num sorriso, e ele mandou dar cem moedas de ouro ao segundo adivinho. E quando este saía do palácio, um dos cortesãos lhe disse admirado:
– Não é possível! A interpretação que você fez foi a mesma que o seu colega havia feito. Não entendo porque ao primeiro ele pagou com cem açoites e a você com cem moedas de ouro.
– Lembra-te meu amigo – respondeu o adivinho – que tudo depende da maneira de dizer. 
Parábola retirada daqui.
Na minha demanda por uma melhor "eu", tenho percebido que a forma como eu digo as coisas é algo que tenho mesmo de mudar. Eu sei que só digo a verdade. Ponto assente. Mas também sei que toda a gente diz que gosta de frontalidade, mas lá no fundinho ninguém gosta. E mais frontal que eu é difícil. E são incontáveis os dissabores graças a este feitio, para não lhe chamar defeito. Ainda hoje aconteceu uma situação do género e sei que a pessoa estava a "pedi-las", e que o que eu disse é bem verdade, mas a forma como o disse foi como se lhe tivesse atirado uma pedra. 
E que ganhei eu com isso? Nada. E o que vai a pessoa retirar do que lhe disse? Que me detesta. Compreendo agora, com a cabeça fria, que a pessoa não vai reflectir no que lhe quis dizer, não vai atingir que a sua atitude provocou a minha reacção, essa pessoa vai lembrar-se de como a fiz sentir e vai detestar-me. 
Podia tê-lo dito de forma a que a pessoa não se sentisse atacada, mas não. Já diz a parábola: "tudo depende da maneira de dizer".

domingo, 16 de novembro de 2014

sábado, 15 de novembro de 2014

Os actos ficam com quem os praticam


E com isto quero dizer que cada vez mais me convenço que as consequências também.
Quando as pessoas são deliberadamente más para as outras, que lidem com a sua própria consciência. À falta dela, acredito que a vida se encarrega de retribuir na mesma medida.
Por exemplo, (e até nem foi por isto que me lembrei de escrever este post), em muitas famílias há a questão dos irmãos que fazem tudo pelos pais idosos e dos irmãos que não estão nem aí. As pessoas falam na obrigação de cuidar. Sim, à partida têm todos obrigação. Mas no fim de contas cada um actua de acordo com a sua consciência. Eu preocupo-me, eu ajudo. Eu acredito que se a velha chegar terei quem se preocupe comigo. Há quem não se preocupe e não ajude. Não me choca, não discuto isso. Acredito que é essa a mensagem que estão a passar para os seus filhos. "Filho és, pai serás, assim como fizeres, assim como acharás".
Eu faço o que posso e a minha consciência fica tranquila.
Mesmo não gostando NADA de alguém não consigo fazer nada para a prejudicar, a minha maneira de lidar é dar ao desprezo. Mas quando as pessoas têm atitudes que claramente foram deliberadas para prejudicar, cada vez mais consigo manter a calma e pensar: "Os actos ficam com quem os praticam".

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Irmãos mais novos ou mais velhos

Somos 5 irmãos e eu sou a mais nova.
Portanto, eu sei o que é ter irmãos a tomar conta de mim quando a minha mãe não podia, sei o que é ter irmãos a brincar comigo, sei o que é ter uma irmã que me acalma e explica o que é aquela mancha de sangue que surgiu pela primeira vez nas cuequinhas, sei o que é ter um irmão que já trabalha e me dá a metade do dinheiro que me falta (e que fui juntando) para comprar o meu primeiro pc, sei o que é ter irmãos a mandar em mim (vai buscar os meus chinelos, passa-me esta camisa a ferro...), sei o que é ter uma irmã que me deixa ir viver (e ao meu marido) para casa dela durante 4 meses, enquanto (e porque) as obras na nossa casa decorrem e demoram mais que o previsto, sei o que é ter irmãos a mandar-me calar e fazer pouco barulho milhões de vezes.
Mas eu não sei o que é ter um irmão mais novo. Não sei o que é mudar uma fralda num irmão, e só sei o que é "mandar" num, porque o meu irmão que é nem 2 anos mais velho, era um medricas. Nunca fui a responsável por nenhum deles, nunca fui a ama seca. Nunca senti que a atenção dos meus pais era roubada por eles.
E lembrei-me disto porque acabei de ver a minha afilhada de 9 anos a mandar uma "boca" à mãe, que estava a cuidar da irmã de 2 meses. Nas palavras dela: "Madrinha, ajuda-me tu a fazer os trabalhos de casa, sim, porque a mãe agora tem uma menina para tratar", naquele tom de voz fodinhas.
E eu de facto acho que ter uma irmã 10 anos mais nova deve ser uma seca. Já não se acha piada às mesmas brincadeiras, e não tarda ela tem 14 anos e já anda em "grupos de amigos" e paixonetas, e a irmã tem 4 anos e quer brincar às Barbies, e mexe-lhe nas coisas e tem de ficar em casa a tomar conta dela.... enfim... a ser irmão mais velho, parece-me que é ideal que as idades não ultrapassem os 3/4 anos de diferença.
Concluindo, somos 5 irmãos e eu tive a sorte de ser a mais nova =)

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Como encontrar alegria num emprego que se detesta

Ontem uma amiga disse-me que ganha muito mal no emprego, faz 10h diárias e pouco passa o salário mínimo. Mas não é capaz de procurar outro trabalho porque adora o que faz.
Perguntou-me se eu gostava do meu. Tem fases. Agora estou numa em que nem me alegra nem me entristece.
Já odiei trabalhar lá, já amei, e agora estou no ponto em que nem é carne, nem é peixe.
Dediquei-me a ler alguns artigos, nomeadamente no site Mind Body Green e na Forbes, sobre dicas de como encontrar alegria quando o emprego nos entristece. Porque poucos são os que se podem dar ao luxo de simplesmente se despedir.

  • Parar de se queixar. E esta é uma lei universal, dá para tudo. Pensamentos negativos atraem acções negativas, além de que não é nada saudável. Quando se aperceber que já se está a queixar, mental ou verbalmente, mude o pensamento para algo agradável.
  • Personalizar o espaço de trabalho. Torná-lo mais agradável para si, com boas recordações à volta. Se não tem um espaço físico específico pode sempre andar com um talismã (uma pulseira, um objecto no bolso...), que lhe traga essa sensação de conforto quando lhe toca.
  • Negociar as condições de trabalho. Tente perceber o que é que não gosta no trabalho: o horário? a função? o número de horas? Dá para trocar? Se sim fale com o seu patrão, o máximo que pode acontecer é ficar na mesma.
  • Faça pausas. Quando estiver a ponto de "explodir com o Universo" ou mesmo quando está bem. Descontraia, coma algo.
  • Construa relações. Um bom ambiente de trabalho em termos de camaradagem vale ouro. Vale mais que ouro. Arranje um confidente, mas cuidado! que seja mesmo de confiança.
  • Pratique a gratidão. Pense que aquele emprego lhe permite pagar a comida, a casa, a camisola, as férias, o que for... pense que aprende sempre alguma coisa com o que faz... pense que conheceu aquela pessoa graças ao trabalho... agradeça! Mais uma lei universal.
  • Ignore. Se não gosta do emprego devido a alguém que "lhe faz a vida negra": ignore! Todos aprendemos com os nossos erros e com o tempo. Aprendam também com os dos outros. Eu cometi este erro de dar demasiada importância a estúpidos, vezes demais. Não há maior desfeita que o desprezo.
E vocês gostam ou não do vosso emprego?
Acham estas dicas úteis?

sábado, 8 de novembro de 2014

O que é bom depressa passa

E amanhã já o último dia de uma semana de férias.
Alguns pensamentos que tive durante esta semana:


  1. Sempre que tiro férias e fico em casa, chove. Certo e sabido. Esteve aquele calor todo e na minha primeira hora de férias veio uma tempestade enorme e choveu toda a semana.
  2. É a maneira de eu descansar mais.
  3. Se fico muito tempo sem fazer nenhum sinto-me culpada. Tenho trabalhado nisso. Afinal férias são férias. E estas devem ter sido aquelas em que mais me dei ao luxo de ficar na cama a ver tv, por ex.
  4. Não andei com paciência para escrever, mas li muito.
  5. Ando a fazer do meu instagram, o meu blog diário. Por isso não se inibam! Sigam gente.
  6. O pão de soja sabe ao peixe.
  7. Melhor batido com a whey: abacaxi e laranja.
  8. Ando com um problemazito de saúde, já me está a enervar. Devido a este também estou temporariamente incapacitada de praticar exercício.
  9. Passo demasiado - DEMASIADO- tempo a ver o "Quem dá mais?" no canal A&E.
  10. Comprei duas camisolas, umas calças, um casaco, um soutien e meias. É mais roupa do que já comprei em mais de um ano.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Ajudem a Bê a ajudar

Já leio a Bê há muitos, muitos anos.
É uma querida e tal como eu adora animais, principalmente gatos.
Mas neste aspecto a Bê é melhor do que eu, pois trata de gatos de rua. Esta semana teve uma crise com os gatinhos, que podem ler aqui.
A conta no veterinário já vai grande. Se puderem ajudar, enviem mail por favor para a Bárbara: barbaracreal@gmail.com
Podem ligar para a Clínica e confirmar a veracidade.

Se puderem ajudem, euro a euro a diferença é feita.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Yoga - crown pose ou tittibhasana ou butterfly

video
Sei que para muita gente isto são ninharias, mas eu estou super contente por ter conseguido fazer esta pose pela primeira vez.  🙏
 💪a aproveitar as férias para praticar um pouco.

domingo, 2 de novembro de 2014

Who dated Who?* #1






Brad Pitt - Jennifer Aniston - John Mayer - Taylor Swift - Jake Gyllenhall - Natalie Portman




* porque se deve fazer o amor e não a guerra.