among us

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Emigrar ou não emigrar, eis a questão

que tem andado na minha cabeça. É que se há coisa em que este país é perito é em não valorizar o talento e trabalho árduo das pessoas. No meu caso vos garanto que estou a andar de cavalo para burro. E é se quero. Porque o país está em crise e ah e tal... E uma pessoa faz o trabalho de 3, já não é de 2, vê o trabalho sempre a ser-lhe aumentado e o ordenado diminuido. E eu quero tanto sair daqui. E não vou porquê? 1 - Marido, Deusmalivre de lhe falarem em emigrar 2 - Não tenho ninguém próximo lá fora que me possa ajudar a preparar a partida 3 - Não me posso dar ao luxo de estar um mês que seja sem receber... E assim é complicado. E eu sei que emigrar não é fácil e não corre bem a toda a gente. Mas também se vê por aí muito caso de sucesso (caso contrário ninguém emigrava) e sabendo que sou mulher para muito trabalho e bem feito sei que seria valorizada...

11 comentários:

Maggie disse...

eu não tenho feitio para emigrante, sou medricas e nada aventureira, admiro quem vai mas eu só em caso de desespero mesmo!

boa sorte

Maggie

A Minha Cozinha Na América disse...

Olha, no dia 18 de setembro faz 1 ano que chegeuei aos Estados Unidos e foi a melhor decisao da minha vida.
Se tiveres alguem conhecido que te arranje trabalho já ficas com metade do problema resolvido. Foi o que nos fizemos. Acredita que a probabilidade de correr mal diminui bastante se as coisas forem bem pensadas.
Acredito que num país em que o trabalho e esforço das pessoas não é bem pago nem sequer reconhecido, emigrar é cada vez a escolha obvia para muita gente.

Panda disse...

E logo para a América! A mim chamava me mais uma Inglaterra ou Suíça. Mas se tiveste ajuda entende se.
Estas onde?

Palavra Já Perdida disse...

Pois, como te entendo.. o meu último post foi sobre isso ...

um pouco diferente, mas entendo-te tão bem !!

S* disse...

És tu e eu. Por mim, já tinha partido - mas o meu rapaz nem pensa nisso.

Dreamer Girl disse...

Olá, cheguei hoje até ao teu blogue e tenho-te a dizer que já estive para aqui a ver para trás :) É um blogue que prende, faz tanto o meu estilo. Já estou a seguir :D

Relativamente à questão de emigrar... É tão complicado quando não se tem ninguém lá fora que possa ajudar... A minha mãe quando emigrou a última vez* foi já com contrato de trabalho... Correu tudo mais ou menos, o pior é quando a família trata pior que os de fora. É chato. É mau. É angustiante. Quando a fui visitar, apenas um mês e pouco após ela ter ido, fiquei muito triste... Descontente com o ar de angústia da minha mãe. :/ Enfim.

* e digo última vez porque já emigrou várias: esteve na Suiça, na França e em Inglaterra.

Beijinho*

Panda disse...

Olá dreamer girl obrigada pela visita. Só com alguém a ler e que isto faz sentido.
Realmente nem sempre a família se porta bem e por isso e que eu já nem conto com os que tenho em França. Gostava de suíça ou inglaterra mas sem conhecer ninguém e realmente complicado.
Beijinhos

Seni* disse...

Olá Panda, não sei como só hoje cheguei ai teu blog e apetece-me ir ficando! :)
Eu tomei essa decisão há um ano incentivada pelo meu namorado que veio 6meses mais cedo e foi a melhor coisa que fizemos. Estou na Suiça sempre a pensar em Portugal - é certo - mas aqui posso sonhar com coisas que nunca me iria atrever aí.
Espero que pondere melhor os prós e contras e muito boa sorte!

Beijinhoos

A Minha Cozinha Na América disse...

Eu estou em Massachussets a 30 minutos de Boston :)

AG disse...

Faz na próxima 6ª feira 1 ano que a minha mana mais nova foi para Inglaterra, foi com mais 2 amigas do curso dela, e foram apenas com a investigação na internet de agências de trabalho temporário em Londres, o contato de um ou outro amigos de amigos para uma qualquer emergência, e com uma casa alugada por uma semana. Hoje têm as 3 trabalho na área que estudaram e estão muito contentes, como pude testemunhar nos 5 dias que passei em casa delas há cerca de 15 dias.

Queen Ana disse...

Olá, eu emigrei e não tive ninguém que me arranjasse emprego. Mas olha, não tive outro remédio senão vir para a inglaterra. Claro que já tinha cá o meu marido, o que facilitou tudo, mas nem tudo são rosas, mas existem mais rosas em emigrar do que ficar num país sem futuro á vista. Tem é de se organizar tudo muito bem, eu tinha o plano A, B, C e no caso de falhar algum ainda tinha o plano D.
Cumpts,
Ana