among us

sábado, 10 de agosto de 2013

A Oprah e a funcionária suiça.


Resumindo para quem não sabe: Oprah foi a uma loja caríssima de malas na Suiça e pediu à funcionária para ver uma mala que estava na montra, de uns 35 mil euros. Funcionária responde-lhe que aquela mala era muito cara e se não preferia ver uma outra.
Oprah acusa funcionária de racismo, como se por ser de cor negra automaticamente não pudesse comprar mala tão cara, a patroa da funcionária vem dizer que aquilo foi um mal entendido que a funcionária simplesmente fez uma sugestão.
Ora eu que adoro a Oprah sempe achei que a mulher tem preconceitos em relação a ela própria, muitos mesmo, não só em relação à cor mas como ao peso e mesmo à infância de abuso. Eu acho que ela, tal como o Michael Jackson, é que se envergonha da própria cor mesmo os outros estando-se maribando para isso. Acho que a funcionária não a reconheceu (valha-me Deus que pecado, ironia) e afinal só tentou ser simpática ao tentar vender-lhe uma outra mala, provavelmente igualmente boa, e não tão cara. Está bem que ela não sabia a carteira da senhora e se ela lhe pediu para ver aquela mala tinha mais era que a mostrar mas caramba daí até a acusarem de racismo...
Mas isto é o que eu acho.

PS. Cabeçalos da notícia em todo o lado: Oprah acusa loja de luxo na Suiça de Racismo. Cabeçalho na TVI24: Recusaram vender mala a Oprah por ser negra. Ainda bem que o jornalismo é imparcial.

7 comentários:

Turista disse...

Querida Panda, estou de acordo contigo: o grande mal foi a funcionária não ter reconhecido a Oprah... não foi o preço da malita da montra. ;)
Beijinhos grandes e bom fim de semana.

De Sonhos se faz a Vida disse...

O cabeçalho que li foi " Funcionária recusa-se vender mala a Oprah" depois li a noticia e deparo-me que ninguém se recuso e a propria gerente disse que a funcionária apresentou outros modelos a Oprah. Mas lá está para vender é preciso ter-se titulos que saibam puxar o interesse.

Palavra Já Perdida disse...

oh senhores... a sério ...
Isto perde-se com tempo com cada coisinha!

Dy disse...

Ora foi precisamente isso que pensei. A Oprah enfim, pensa que por ser quem é, que o mundo gira à volta dela e fez logo escândalo sobre esse acontecimento que, viu-se logo, que a funcionária não a reconheceu e que por isso tentou fazer o trabalho dela tentando vender uma coisa mais barata. Tudo bem, se a funcionária recusou pegar na mala e pô-la nas mãos da senhora dona excelentissima Oprah, fez mal porque as pessoas têm o direito a ver. Mas a Oprah tal como muitos outros negros, são racistas e preconceituosos com eles próprios e isso venho notando cada vez mais, além disso adoram ser as vitimas de tudo e mais alguma coisa. Enfim.

Anónima disse...

Eu acho que foi um erro de comunicação somente. A funcionária falava italiano, e a Oprah só sabe falar inglês como é obvio. E por vezes pode haver falhas de entendimento. Não acredito que tenha sido racismo, e que a funcionária tenha achando que ela não tenha dinheiro, apenas acho que foi uma questão de má interpretação do inglês.
E depois mesmo que tivesse acontecido tal e qual como a Oprah diz, podia ter acontecido com um branco também. Logo é estupido achar que é racismo penso eu.
Mas tal como foi dito aqui, a Oprah é que deve ter preconceitos em relação a ela mesma. Acho que foi uma notícia parva, e dar importancia a algo tao sem valor. Eu queria ver a Oprah pobre, coitada. Mas não ! ela tem que ser mais que os outros.

Karina sem acento disse...

Concordo contigo. Ora, a mim já me aconteceu o mesmo por querer comprar um perfume, com a diferença que eu não sou conhecida e sou branca. Porque era novinha e o funcionário achou que eu não tinha dinheiro para levar um perfume caro. Não foi racismo, foi simplesmente idiotice por parte do funcionário.

Petra disse...

Não podia concordar mais contigo Panda, gente complexada, que está sempre a espera que os maltratem para se fazerem de vítima.