among us

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Duas coisas estranhas

Primeira:
Hoje de manhã passo na Primark (e não, não é a do Colombo que abriu hoje, é a de Braga) com o marido. Ele vê uma saia e diz que achava que me ficava bem, eu achei que me ia ficar muito curta (não gosto) e então decidi experimentar. Ao ir para o provador a menina dá-me a marcação de uma peça e digo eu para o marido: "Anda, ficas do lado de fora, que eu quero que digas a opinião". Ao que responde muito depressa a funcionária: "Ai não entra não!!! Não pode!".
Tão depressa me estava a dizer isso como já eu lhe tinha enfiado a saia e a marcação nos braços e lhe estava a desejar bom dia.
Eu não sei mas eu acho que este país está a regredir em todos os aspectos. Porque que eu me lembre, um homem sempre pôde acompanhar uma mulher até aos provadores e esperar que ela abra a cortina para mostrar como fica a roupa. Não vejo qual é o mal disso. Quando é que se começaram a segregar os sexos em lojas de roupa? Tinham medo que fôssemos procriar para o cubículo? Ora nem nós temos aspecto de teenagers e se quiser procriar bem posso fazê-lo no aconchego do nosso lar.

Segunda:
Vinha há pouco de Ponte de Lima quando de repente olho pelo espelho retrovisor e tenho um carro da PSP com luzes e sirenes ligadas, na bisga, a fazer sinal para encostar. Eu tive um momento do género:
"Ui! QUE É O QUE EU FIZ????!!?"
Nisto senhores guardas atravessam carro à frente do meu, obrigando-me a ir para cima da valeta e começam a apontar para encostar mas para o carro que ia à minha frente (que assim o fez). À filme mesmo.
A mim pareceu-me que ele ia sossegado da vida quanto eu, mas a avaliar pelo aparato todo, ui ui... que terás tu feito.

6 comentários:

O Peru Ressabiado disse...

A Primark sempre teve essa regra, homens para um lado, mulheres para outro.. Eu acho que nunca me deixaram sequer entrar com uma amiga no mesmo provador...

Sílvia disse...

Experimentar roupa na Primark é um nojo! Não pode entrar ninguém connosco seja homem ou mulher (às vezes a minha mãe leva uma ou duas peças para fingir que vai experimentar, quando na verdade só vai para me dar uma opinião).

Palavra Já Perdida disse...

Como? lol que estupidez...
Quanto à polícia, se fossem atrás de mim a fazer sinais, também eu pensava a mesma coisa.

Dreamer Girl disse...

A primark sempre foi assim.

Joana disse...

Realmente não era necessário... A mim aconteceu-me o mesmo noutra loja (não em Portugal, mas na Inglaterra) e eu tive a mesma reacção que tu, mandei tudo ao ar e fui-me embora. Às vezes preciso mesmo de uma segunda opinião da minha cara-metade ;)

Kate disse...

A mim aconteceu-me o mesmo exactamente na mesma loja! E a reacção foi a mesma :) Não percebo, por muita justificação que arranjem a lógica desta situação.