among us

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Lançamento de livro

Um destes dias fui à apresentação do livro de uma colega de Universidade.
É um livro contos infanto-juvenis, ainda só li o primeiro conto (tenho andado a mil) e está muito bonito.
A autora foi das primeiras pessoas com quem comecei a estabelecer ligação quando entrei na Universidade, isto porque ela apanhava o mesmo autocarro que eu. E eu gostava muito dela. Entretanto comecei a dar-me com outras pessoas que acabaram por "excluí-la" do meu grupo de amigas. Assim, ao longo dos cinco anos de curso, passei sempre a cumprimentá-la e a ter conversas de circunstância e nada mais.
A verdade é que as minhas "amigas" saíram "amigas", assim mesmo, com aspas. Quando o curso acabou já só falava com uma, e um ano depois já tínhamos perdido todo o contacto, apesar dos meus bons esforços.
Soube que esta ia lançar o livro pelo facebook e decidi que ir vê-la (já se passaram 6 anos desde o fim do curso), dar-lhe os parabéns, mostrar apoio, comprar o livro. Isto porque se fosse eu, gostava que me fizessem o mesmo.
E durante a apresentação ela falou mais sobre si, os próprios contos do livro são um pouco auto-biográficos, e eu apercebi-me que temos imensa coisa em comum! Eu e ela. Revi-me completamente nas suas palavras. Dei por mim a pensar que, garantidamente, se eu tivesse seguido o meu instinto e estabelecesse uma amizade profunda com ela na altura da universidade, por esta altura ainda seríamos amigas. Ainda hoje tento perceber o que me levou a aproximar antes de pessoas com pontos de vista tão distintos do meu... se calhar, só a experiência dos anos é que me permitiu chegar a este discernimento de saber que aquelas amizades nunca correriam bem, e que aqui estava uma pessoa onde podia ter depositado melhor a minha confiança.
Gostei de a ver, pusemos a conversa em dia. E fiquei a saber que dos nossos tempos de estudantes ela também só guardou um único amigo.

3 comentários:

♥Cat disse...

Nunca é tarde para tentar uma amizade :)

desabafosemrodape disse...

as pessoas de quem nos aproximamos no decorrer de um curso, podem ser as mais importantes a quem nos ligamos num determinado período. quando os nossos instintos nos traem, ficamos sempre sem saber a razão.mas há sempre tempo para repor a falha.

Na America Profunda disse...

Concordo com a Cat, nunca e' tarde para nada
beijinhos