among us

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Bike report

Desde que compramos a bicicleta o meu marido não foi para o trabalho de outra forma.
Portanto em duas semanas e meia não se cansou, pelo contrário acho que o bicho se vai transformar em monstro. Se ela permite poupar? Em termos de gasóleo sim, dado que não usou mais o carro.
No entanto, para além do dinheiro gasto na compra dela, ele já gastou metade do seu valor em extras. Estes incluem um fato impermeável (para chegar seco ao trabalho nestes dias tão chuvosos), capacete, luvas, luzes, suporte da garrafa, garrafa da água, conta quilómetros, uma coisa que não sei o nome "para quando a corrente salta" e mariquices. Cheira-me que é capaz de ainda ficar mais caro que kitar um carro.
Em termos de saúde também só lhe fez bem, ele é magro mas tinha ganho uns quilinhos extra este ano e foram-se num instante.
Mas hoje ele tirou-me do sério. Quis ir na bicicleta para casa dos meus pais (uns 22km), numa estrada que está sempre cheia de carros. Ir, ainda tolerei, mas sempre achando que chegado lá ele ia enfiar a bicicleta na mala do carro (no qual eu fui) e voltávamos juntos de carro.
Mas não.
Ele teve de esperar que anoitecesse para voltar na bicicleta. Eu sou uma medricas. Imaginei-o logo a ser cilindrado por um camião. Ainda por cima a estrada tem vários pontos sem luz, muito escuros e perigosos. Supliquei-lhe que não viesse nela, mas veio. E surpreendentemente rápido. É claro que isto eu não lhe disse. Aliás ainda não lhe dirigi palavra e vou deixá-lo assim a sentir-se mal durante algum tempo.
Porque se eu digo não...

... devia ser não.

3 comentários:

Patrícia disse...

Eu no teu lugar também fazia logo uma novela dramática xD Nessas coisas também sou como tu xD

S* disse...

Oh, aproveita essa nova fase do maridão. Andar de bicla só faz é bem!

Cafe Lisbonne disse...

heheheh :-)
Desobedientes estes homens.... :-)