among us

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Meu querido diário


Dos meus 13 aos 16 anos escrevia num diário (que aliás são vários). Tenho-os escondidinhos cá em casa e às vezes lembro-me e começo a lê-los, que foi o que fiz hoje. De todas as vezes apetece-me pegar-lhes fogo, como se só através do fogo eu pudesse purificar toda a estupidez que eu tinha na idade da parvalheira.
Eu morreria de vergonha se alguém os lesse, e eu sou uma desenvergonhada de primeira.
Só ainda não os destruí porque acho que se um dia eu tiver filhos, os meus diários irão ajudar-me mais que qualquer livro do Dr. Phill. Eles lembram-me como nessa idade somos controlados pelas hormonas. Somos infantis até aos 12 e depois PUFF!!! ficamos um buffet de estrogénio e testosterona (conforme o sexo) que nos faz pensar que o mínimo problema é motivo para sofrimento infinito, que aquele rapaz é definitivamente o homem com quem vamos casar, pelo menos até sexta-feira que é quando conheci outro ainda melhor, que os pais só existem para nos dificultar a vida e por aí fora.
Mas sobretudo de cada que vez que os leio recordo-me com todos os pormenores e sentimentos do meu primeiro beijo, que o meu pai me tirou o rádio de castigo (logo agora que a Alice me emprestou a cassete dos BSB), dos amigos que eram eternos naquela fase da vida mas dos quais não sei há muitos anos, do meu primeiro emprego e a primeira coisa que comprei com o primeiro ordenado (que a propósito foi o cd By Request dos Boyzone), entre outras pérolas que é uma pena esquecer.

9 comentários:

Scarlet_Perry disse...

Eu era mais novita. Tive tres e devo ter deixado de escrever prai aos 14.Os meu estao em casa dos meus avos, mas tenho de os ir buscar. Mas nao para mostrar aos meus filhos, que definitivamente nao sao muito ingenuos! (os diarios, nao os filhos. Que esses ainda nao tenho e de certo tmb nao vao ser ingenuos :D

Panda disse...

lol scarlet, os miúdos estão cada vez piores, mas também não os tenciono mostrar aos meus filhos. Apenas lê-los eu para me relembrar do que pode ir naquelas cabecinhas.

J disse...

Claro que sigo :) Lá ia eu perder uma pérola destas! *

ariel disse...

eu acabei por destrui-los com medo que alguém os encontrasse!!

S* disse...

Que LINDO está o blogue. :D

Às vezes leio os meus diários antigos... tive diário quase até aos 20 anos. :)

*C*inderela disse...

eu começa mas nunca acabava. Nunca tive muita paciência para escrever um diário. lol. Mas agora faço do meu blog uma espécie.

Bjokas*

Just a Lady disse...

Por acaso não tive nenhum diário quando era mais nova, mas as pérolas da adolescência nunca se esquecem, é cada uma :D
Beijinhos*

Luisinha disse...

Nunca tive diários, tenho agora aos 43, ainda vou a tempo, não??!!!
Tenho 2 filhas adolescentes, e lembro-me sempre de como eu era da idade delas, por isso as entendo tão bem (ainda hoje fiz um post sobre isso).
Bjinhos

esquilinho disse...

Na adolescência somos umas autênticas drama queens! Mas por isso mesmo deve ser a altura da vida em que vivemos tudo com mais intensidade.