among us

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

As lições da vida

Para quem acompanha o Biggest Loser sabe do que vou falar, mas explico rapidamente. Tem uma concorrente, a Abby, que é uma senhora que perdeu o marido e dois filhos num acidente de automóvel.
E tal como a Jillian, a treinadora, já o disse eu também não consigo "racionalizar" a morte de alguém que amamos. Não tenho medo nenhum de morrer, tenho muito medo de perder quem amo.
Eu não me imagino nem quero sequer imaginar o que é passar pelo que aquela senhora passou. E de cada vez que ela abre a boca eu choro. Porque ela sabe que a morte, o desleixo, a infelicidade seria o caminho mais fácil para ela, no entanto ela faz a escolha todos os dias de sair da cama e lutar por uma vida melhor, ainda que difícil.

Temos que dar com a mão na nossa própria boca 90% das vezes que nos queixamos da vida.

12 comentários:

Sonhadora disse...

Perdermos entes queridos é do pior :(

Jóh disse...

ai eu chorei quando ela contou essa história aos outros. tudo a chorar fogo não dava para aguentar :s
fiquei de boca aberta completamente com essa situação, porque me arrepiei só de pensar na possibilidade de passar por isso e ser assim tão forte como ela.
tiro-lhe o chapéu :)

Tilida5ever Design-Rosinha disse...

Corroboro inteiramente as tuas palavras...

*Sininho* disse...

Verdade! A Abby é uma prova de força!

*Sininho* disse...

Verdade! A Abby é uma prova de força!

Cláudia disse...

Eu não vejo o programa, mas já ouvi falar da história e deixou-me bastante impressionada!

Temos que viver a vida e aproveita-la em todos os momentos!

Nokas disse...

Eu chorei a ouvir a história dela...É uma mulher de armas!!

Bloguótico disse...

Quando pensamos que estamos mal há sempre algo ou alguém que nos mostra o contrário...

Ta' disse...

Mas seria a unica mulher na Terra que nao chora? =P de qualquer modo fiquei boquiaberta, ela é uma força da natureza!

ariel disse...

deve ser mesmo mto complicado...

Emma disse...

Eu também fiquei impressionadíssima com a Abby. É preciso ter uma grande coragem para finalmente enfrentar os seus próprios fantasmas e fazer algo por ela própria. De facto, ao vermos casos destes, percebemos como temos sorte na vida.

DoceSussurro disse...

Eu chorei baba e ranho qd ela contou a história dela ao resto do grupo :(

É mto triste mesmo!!

Beijinho*