among us

sábado, 20 de novembro de 2010

A leitura em dia #1

Se há coisa que faço muito é ler, sempre gostei e acho que nunca o disse aqui mas sou licenciada em Comunicação Social e por isso ler/escrever é aquilo que me enche a alma. Além disso, tenho agora a "obrigação" profissional de me manter a par dos livros. Por isso dou por iniciada uma rubrica que se chama: "A leitura em dia".

A Tia Júlia e o Escrevedor do Nobel Mario Vargas Llosa, é um livro baseado em memórias autobiográficas e conta a história do amor avassalador entre o Varguitas e a sua tia Júlia, para além do conhecimento que a personagem principal trava com um escritor de radio-novelas. É fantástico como o livro nos faz mergulhar na atmosfera que se vivia em Lima nos anos 50, saber os hábitos e aspirações dos seus habitantes. O livro tem uma boa dose de humor e eu adorei o facto de intercalar capítulos dedicados ao Varguitas com capítulos que são no fundo os folhetins que o escrevedor vai fazendo, ou seja no meio da história principal que já de si é boa, tem muitas outras que podiam dar igualmente bons livros mas se ficam por um só capítulo.

A Cabra Urbana de Joana Cabral. Devorei esta "pérola" em dois dias, e isto porque tenho de trabalhar. Foram os 2€ mais bem pagos da minha vida. Não conhecia a Joana Cabral, e quando comecei a ler o livro e vi que não usava letras maiúsculas no início das frases comecei a desconfiar, 5 minutos depois estava rendida:
"na faculdade, os professores tinham grandes expectativas para a abril. (...) diziam-lhe que ela seria uma grande jornalista. a abril acreditava.(...) a abril aprendeu que a sua carreira dependia mais de quem conhecia e dos seus camaradas de copos do que propriamente do seu talento." Quando lemos num livro aquilo que sentimos e vemos não há muito mais que se possa dizer.

5 comentários:

*Sininho* disse...

Adoro ler! Por isso, parece-me que vou adorar esta rubrica ;)

M. disse...

Este está na minha agenda...

Nokas disse...

Excelente rubrica! Sou apaixonada pela leitura :)

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Pandamiga

Não és só tu que adoras ler, prontos, sem s. Eu também, a Sininho idem, uma porradaria de malta bué da fixe, aspas.

Quer este post, quer o anterior dobre os filmes porno, são excelentes. Não conheço a Joana Cabral, mas vou conhecê-la; lá vou depositar na fnac mais uns €€€€€. Coitados, eles pprecisam. De qualquer forma, muito obrigado.

Amiga

Chego aqui por andar a navegar na blogosfera q.b. e estou muito satisfeito por te ter encontrado. O teu blogue é muito interessante, e bem escrito. O que, para mim, que sempre ganhei a vida a produzir prosa tão honesta quanto possível, (sou jornalista e dizem que também escritor, dizem…, e aos 69 anos não me sinto velho) é motivo acrescido de satisfação. Mas sou também alegre, bem disposto, brincalhão, adoro viver assim, adoro a minha família.

Espero que me retribuas a visita e deixes comentários na Minha Travessa. E, já agora, que te tornes minha (per)seguidora. Olha, minha flor: há fado lá na Travessa. Se gostas... Não pagas imposto (ainda) e não doi nada, nadinha. Não é pedir muito… Obrigado

Qjs = queijinhos = beijinhos

NB – Peço-te desculpa por este comentário ser tão longo; mas tenho de referir que é um texto base, ainda que com algumas apreciações individuais e específicas. Infelizmente não sou dono do tempo, e a sê-lo seria uma chatice… Para que não haja dúvidas. Mas, é sincero.

Panda disse...

Sr. Henrique,
vejo que é um homem na flor da idade, os 69 ;)
Seja bem-vindo... a FNAC precisava era de uma coisa que eu cá sei e não digo, eu comprei-o na Media Markt por 2€ mas acho que foi mesmo sorte encontrá-lo.
Vou lá visitá-lo!
Ainda bem que há uma porradoria de gente a gostar de ler, a ver se este país anda para a frente.