among us

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Rock in Rio - o bom e o mau

O bom
Eu fui no dia 01 de Junho, para ver Justin Timberlake. Não tivemos problemas para estacionar, não esperamos muito para entrar. Fomos logo para o "stand" da CGD, para saltar de um monumental insuflável. Parecia mas fácil, mas não era. E depois demos uma volta pelo recinto, muita actividade...
E os concertos? Como vou explicar na parte do "mau" não vi Kika (e eu adoro a miúda), nem João Pedro Pais, nem Mac Miller (mas pelo que ouvi, foi muito bom), nem o início da Jessie J.
E esta foi a surpresa da noite: a Jessie J. Eu gostei do primeiro álbum dela, não conhecia o segundo, não estava à espera de nada do concerto dela e foi muito bom. Vozeirão, muito animada, muito show, boa interacção com o público... fiquei fã.
Justin Timberlake sem palavras. Não desilude nada. A voz, o que se ouve ao vivo é com a mesma qualidade das gravações, dança que se farta, toca guitarra, toca piano, fala muito com o público, brinca e a setlist foi muito boa. Era artista para voltar a ver na mesma semana se fosse preciso. Cantei que me fartei.

O mau
Muita confusão, pó por todo o lado, acho que até nos olhos tinha palha... filas enormes. Fila interminável para ir à casa de banho, para comprar algo para comer, para ir às bancas das marcas e já para não falar na fila para coisas como andar na roda e no slide.
Pouco depois de entrarmos o marido quis andar no slide, toca a ir para a fila, não estava maior do que para a banca da CGD e lá foi relativamente rápido. Passava pouco das 17h. Uma hora mais tarde falei ao meu marido em desistir, tanta coisa para ver e nós ali empatados. Duas horas passaram. Muita gente a desistir. Três horas à espera e o pouco que a fila tinha avançado era graças às muitas desistências. O marido teimava que já que tinha esperado aí ia ficar.
Eu fui dar uma volta sozinha, já tinha perdido muito concerto e não queria perder mais nada. Às 22h (quase cinco horas depois de começar a esperar), o marido aparece à minha beira. "E então, valeu a pena a espera?" "Desisti de esperar, aquilo não andava".
Cinco horas numa fila para nada, coisa que para mim é completamente insana. No slide tinham uma porta lateral, quer-me parecer pelo que vi, que os amigos dos voluntários e os VIP não tiveram problemas em descer no slide.
Com tudo isto, quando o marido se juntou a mim e procuramos local para ficar a ver o JT, já o concerto da Jessie ia avançado e aquilo era povo por todo o lado. Ficamos do lado direito do palco, lá para cima, na colina, ficava longe mas via-se bem, o problema foi aguentar horas seguidas numa descida íngreme. Os meus pézinhos ficaram para morrer. Ah, e o Sá Pinto ficou à minha frente e o povo estava sempre a berrar-lhe.

Algumas fotos:



3 comentários:

Anna Marian disse...

Acredito que nao seja facil. Tanto que odeio confusoes, para mim algo assim infelizmente nao dava. Quanto 'a roda, fogo 5 horas?! Mais depressa vinhas ca e voltavas a Portugal :) eheheh Beijinho xx

R* disse...

A tua experiência no Rock in Rio foi muito diferente da minha no Alive, ou devo dizer totalmente oposta?

Eu cheguei às 16h e fui logo a correr com o namorado para a frente do palco principal! Só saímos de lá já passava da 1h da manhã depois de ver Editors e Depeche Mode! Claro que já não aproveitei os stands das marcas porque já tinham fechado :P

Ahah :)

Timtim Tim disse...

Os meus 40 já não me permitem apreciar devidamente essas coisas.