among us

domingo, 24 de julho de 2011

O consumismo em Portugal vs. USA

Uma das coisas que mais me impressionou em NY foram os funcionários das lojas. Já havia sido alertada por um amigo brasileiro, que eles se estavam nas tintas e eram mal educados.
Não posso dizer isso de todos, muitos foram simpáticos, mas sim no geral deixaram-me perplexa. Primeiro caso: o meu marido pede uns ténis no tamanho acima, o funcionário diz que não há sem sequer consultar nada (isto numa loja enorme) e continua a divagar por ali a atirar uma bola de ténis ao chão e a agarrar. Pergunto a outra funcionária se tem e ela foi buscar, isto na frente do outro que manteve-se nas tintas.
E depois comecei a pensar se o problema era deles, ou se somos nós, consumidores portugueses, que estamos mal habituados. Estivemos na loja Forever 21 em Times Square, é enorme, tem roupa bonita e barata e tinha muita gente lá dentro, mas não se viam roupas espalhadas pelo chão nem nada que se pareça como aqui se vê nos saldos e que este post do blog Leves e Ausentes mostra bem.
Eu acho que eles lá se estão nas tintas e respondem torto porque se apercebem que são turistas e que estes têm mais que fazer que pedir um livro de reclamações (se é que existe) e por aqueles lados o desemprego não abunda (sorte a deles) e se não for naquela loja, trabalham na da porta ao lado.
Eu estive para ir às trombas a uma funcionária do Starbucks, eu falo tão bem português como inglês e como tal não há cá problemas de "lost in translation", ela não parava de conversar com a colega e cantar e mais "look at me" que até metia nojo e eu fiz-lhe o pedido e ela mal me olhou na cara. Fez-me esperar, fez-me andar de um lado para o outro e quando vou buscar o pedido só tinha uma sandes e eu tinha pedido duas. Eu começo a falar um pouco mais alto e ela atira um: "estás enganada, pediste-me só uma, se calhar enganaste-te no inglês". Ao que eu começo a responder em português algo que ela entendeu muito bem e não demoraram 5 segundos a entregar-me a sandes em falta. Há certa linguagem verbal e não verbal que é bem compreendida em qualquer parte do mundo.

14 comentários:

Ninna Jules disse...

olha os gajos a armarem-se em espertos!

Mimi Macaca disse...

Olá!

Quando estive em Londres fiquei escandalizada quando deram as 20h da tarde e a funcionária veio ter comigo directamente e me disse para não ver mais nada porque a loja estava a fechar e eu tinha de sair. Primeiro estranhei, mas acho que este tipo de coisas devia ser feita cá também!

Isto do cliente ter sempre razão e haver livros de reclamações em cada esquina só lhes dá o poder que não deviam ter. Ou para igualar os lados, os funcionários também deviam ter direito a pedi-lo para certos e determinados comportamentos dos senhores clientes. Eu trabalho no ramo e bem vejo muitas coisas que me apetecia agir... mas o que fazer? Os responsáveis ainda são capazes de lhes dar razão!

****

100 Pretensões disse...

Bem suponho que deverá ser mesmo pelas razões que dizes, o de serem turistas e do desemprego não ser como aqui,por exemplo...
**

*Lili* disse...

Felizmente quando ia para o estrangeiro nunca tive problemas com o meu inglês... mas infelizmente há muita gente lá fora que nos faz sentir extremamente burros lá porque não somos da terra deles... Não sei se é preconceito para com os estrangeiros mas sinceramente às vezes deixam muito a desejar... e minha querida eu já lhe tinha ido às trombas! Sem sombra de dúvidas, gozar com quem lhes fez o cu!

http://realdreams-liliana.blogspot.com/

S* disse...

Mas que faltinha de respeito... intolerável.

Turtle disse...

Eu sempre achei que a nossa língua é excelente para se fazer entender mesmo quando não se percebe uma palavra :P

na america profunda disse...

Panda nao reparaste que so es bem atendida, bem ate demais porque parecem melgas a rondar nos restaurantes??? porque se estao a fazer a grojeta dos 18% a 20 %
aqui e' igual, sao de uma simpatia que nem imaginas, agradeces e o que ouves de resposta e' um hum-hum (som) qual obrigado eu, tenha um bom dia, nada...
bjoo boa semana

Alix disse...

das várias vezes que tive nos EUA nunca fui atendida dessa forma, antes pelo contrário. se calhar tiveste azar. em todo o lado tive um sorriso, um "hello, how are you doing today, fine?" e um "may I help you?". achei-os sempre muito simpáticos e prestáveis :)

Aria disse...

bem...incrível!!!

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Já fui a NY mais que uma vez e continua a ser a cidade onde fui mais mal atendida até hoje :-( Nem na Gucci onde fomos comprar uma surpresa para a minha mãe eles foram simpáticos :P Bah pra eles!A mata a mostrar as favas todos sorridentes e eles sempre a rosnar :P

TheWriter disse...

A simpatia está mal equilibrada. Muito mal equilibrada!

Panda disse...

Alix também tive muitos assim, como disse no post muitos foram simpáticas, eu só deixei dois exemplos em que não foram mas houve mais situações.
Tive um senhor no Central Park que se recusou a aceitar moedas porque tinha visto na nossa carteira notas! chegou mesmo a tratar-nos mal.

Isabel Lima disse...

Percebo agora porque os estrangeiros gostam tanto do povo português que é sempre(quase sempre por as pessoas às vezes têm dias maus) atencioso.

*C*inderela disse...

bolas! isso é o cumulo.