among us

sexta-feira, 11 de julho de 2014

A inversão dos papéis

Estou a chegar aquela fase da vida em que os papéis se começam a inverter.
Em vez de serem os pais a tomar conta de nós, somos nós a tomar conta deles.
Porque é preciso escutá-los, passam muito tempo em casa e querem desabafar; é preciso ir com eles ao médico, porque o corpo está frágil e surge de tudo; é preciso ajudá-los a fazer tarefas que antes eram simples para eles e deixaram de ser; é preciso acalmá-los porque passam muito tempo um com o outro e têm queixinhas para fazer...
A memória já não é a mesma e já me apercebi que a minha mãe fica muitas vezes desorientada, e descarrega no meu pai. A capacidade de tomar conta de uma casa enorme e de uma quinta também já não é a mesma, e o pai, homem habituado a encontrar tudo feito, não sabe ajudar e a mãe já não chega a tudo.
Eu faço os muitos km's que nos separam quando posso e ajudo como posso. Gostava de viver mais perto. Gostava de poder ajudar mais. Tenho irmãos a viver tão perto deles e que parece que não se apercebem das coisas, ou não querem perceber...
É para mim o maior desafio da minha vida até agora e é muito complicado lidar com isso.
Ter de dar a mão e tratar como meninos, a quem me deu a mão e me tratou em menina.
Quero dar-lhes o melhor, tal como eles sempre o quiseram para mim. São os meus velhotes, são lindos e eu amo-os tanto.

5 comentários:

R* disse...

Olá Panda :)
Envia-me o teu email pessoal (o que usas normalmente para trabalhar e tudo mais) para eu te poder adicionar no site em que reservei a casa e te passar toda a informação :):)

Gosto muito do espaço e pelo preço é fantástico.

Miss Purple disse...

Pois..infelizmente chega a uma altura que temos de ser nós a ajudar.
E custa tanto... mas tem de ser. quanto aos teus irmãos, se calhar por estarem mais perto não se apercebam mesmo, pois já é normal aquele estado não?
Bom eu vivo com os meus pais e apercebo-me mais depressa das coisas do que os meus irmãos...mas somos todos diferentes!

Candybabe disse...

Também já estou a sentir isso... Não é fácil...

Carla Pereira disse...

É o que acontece cá em casa com os Avós... Vivemos aqui os nossos primeiros anos de vida, com eles a tomar conta de nós, juntamente com os nossos pais, e agora somos nós a tomar conta deles...

Maria Varredora Pau de Vassoura disse...

Tambem estou a sentir isso e sinto que quero retribuir todo o amor, carinho e atencao que me deram.